Home Mobilidade Urbana As 10 cidades que mais abraçam o ciclismo no mundo
As 10 cidades que mais abraçam o ciclismo no mundo

As 10 cidades que mais abraçam o ciclismo no mundo

0
0

Queimar algumas calorias, economizar dinheiro de combustível ou ticket de transporte público e até mesmo encurtar distâncias e tempos. Melhor ainda: sem emitir gases venenosos! A responsável por isso é a nossa velha amiga de duas rodas: a bicicleta.

No Brasil, ainda enfrentamos problemas referentes à inclusão do ciclista no trânsito, mas em outras partes do mundo a situação já é bem diferente. Aqui vai uma dica sobre as dez melhores cidades para pedalar com segurança e sendo respeitado por quem opta por outros meios de transportes:

 

Sevilha

10 – Sevilha (Espanha)

O mérito da adaptação para os ciclistas é da iniciativa política. A cidade já foi ícone mundial para a questão da incorporação das bikes na vida diária moderna. A participação dos ciclistas no trânsito cresce consideravelmente de ano para ano.

 

Antuérpia

9 – Antuérpia (Bélgica)

Antuérpia é um ambiente totalmente facilitado para o ciclismo. Possui estacionamentos para bikes em vários lugares estratégicos, inclusive próximo à estações de trem. Infelizmente, ocupa o nono lugar devido a alguns embates políticos, assim como enfrentamos no Brasil. Mas a população de lá, de classe social e idades variadas, acolheu o hábito e certamente fará pressão para que mais melhorias sejam feitas no setor.

 

Bordeaux8 – Bordeaux (França)

A cidade reuniu esforços para acalmar o estrangulamento do trânsito através de medidas para viabilizar o uso das bikes. Os investimentos feitos a levaram a ocupar atualmente o oitavo lugar no ranking mundial.

 

Nantes

7 – Nantes (França)

Se destaca pelos seus feitos para minimizar os problemas no trânsito, evidenciando a bicicleta como uma das opções mais atraentes. Há esforços do governo, de iniciativa privada e parcerias entre os dois. A cidade já possui um projeto para transformar uma das suas principais ruas em uma grande via apenas para ciclistas.

 

Malmo

6 – Malmö (Suécia)

A cidade segue o modelo de Copenhague, com os diferenciais de possuir fortes campanhas a favor da troca dos carros pelas bicicletas, adaptações para facilitar o estacionamento das mesmas e ciclovias com nomes para facilitar a identificação pelo GPS.

 

Floating Roundabout

5 – Eindhoven (Holanda)

Eindhoven ocupa o quinto lugar não só pelas adaptações funcionais feitas em prol do ciclismo, mas também do significado icônico de uma ponte exclusiva para os ciclistas, chamada de Floating Roundabout, que exerce influência cultural no imaginário das pessoas a favor do hábito de pedalar.

 

Estrasburgo

4 – Estrasburgo (França)

Aqui, na maioria dos casos, a bicicleta é o transporte mais rápido. A cidade é cheia de atalhos que podem ser feitos somente de bike ou a pé. Sua única controvérsia é que o trecho dos ciclistas não é muito didático, sendo necessário levar um tempo para entender os caminhos.

 

Utrecht

3 – Utrecht (Holanda)

A cidade holandesa conta com investimentos feitos no trânsito e até um mega estacionamento que comporta cerca de 12 mil bicicletas, o que reflete a cultura local, que já está mais do que acostumada a pedalar de um lado para o outro.

 

Amsterdã

2 – Amsterdã (Holanda)

A cidade é, em grande parte, facilitada para os ciclistas, uma vez que a população também utiliza as bikes para a locomoção diária. O único problema é que ainda faltam algumas medidas para desobstruir áreas centrais, mas acredita-se que elas serão tomadas.

 

Copenhague

1 – Copenhague (Dinamarca)

A cidade dinamarquesa é exemplo para qualquer outra quando o assunto é ciclismo. A grande parte da população da cidade já possui o hábito de se locomover com a bicicleta, o que forçou medidas para a adaptação do trânsito para os ciclistas. A cidade é a melhor do mundo para se pedalar.

Fotos: Sevilha, Antuérpia, Bordeaux, Nantes, Malmö, Eindhoven, Estrasburgo, Utrecht, Amsterdã, Copenhague