Home Vida Saudável Você precisa de vitamina D e a bicicleta pode ser a solução
Você precisa de vitamina D e a bicicleta pode ser a solução

Você precisa de vitamina D e a bicicleta pode ser a solução

90% da vitamina D é obtida por meio da luz solar e apenas 10% provém da alimentação, ou seja, se expor ao sol é essencial para a sua síntese

0
0

Com o trabalho ocupando grande parte do dia das pessoas e muitas vezes em locais fechados, sobra pouco tempo para o Sol fazer sua parte pela nossa saúde. Se você ainda precisava de outro bom motivo pra investir na bike como meio de transporte, fico feliz em te dar mais um muito convincente: a vitamina D.

vitamina-d-01
Foto: wavebreakmedia / Shutterstock.com

Acontece que 90% da vitamina D do corpo humano é obtida por meio da luz solar e apenas 10% provém da alimentação, ou seja, se expor ao Sol é essencial (com cuidados, é claro). Em contrapartida, a diminuição da permanência em ambientes abertos e o aumento do uso de filtros solares têm contribuído pela deficiência desse micronutriente que, segundo dados da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), se apresentou insuficiente em 50% da população jovem da cidade de São Paulo e em 85% dos idosos.

Mas por que isso é tão importante? A resposta é simples: a vitamina D está envolvida em diversas funções vitais no nosso organismo, como na secreção da insulina, melhora do sistema imunológico, absorção de cálcio e fósforo no intestino, deposição de cálcio nos ossos, atuação nas células musculares, neurológicas e cardíacas, prevenção de TPM (Tensão Pré-Menstrual) e enxaqueca, e ainda auxilia no emagrecimento. Tá bom ou quer mais? 😉

Já a sua deficiência, além de propiciar o enfraquecimento dos ossos, favorecendo a osteoporose na idade adulta e o raquitismo na infância, está relacionada a outros malefícios conhecidos: fraqueza muscular, doenças respiratórias e cardiovasculares, diabetes, depressão e até mesmo câncer.

vitamina-d-02b
Foto: bitt24 / Shutterstock.com

É verdade que alguns alimentos são considerados fontes de vitamina D, como a gema de ovo, o leite, o óleo de fígado de bacalhau, a manteiga, e peixes como salmão, cavala, arenque, sardinha e atum. Entretanto, os raios ultravioletas ainda são substancialmente mais efetivos que a dieta, já que seria preciso a ingestão de 10 copos de leite por dia para se alcançar o mínimo necessário do nutriente.

Logo, para atingir níveis adequados de vitamina D é recomendado a exposição solar dos braços, pernas, rosto e pescoço no mínimo três vezes por semana de 15 a 20 minutos antes das 10 horas da manhã ou após às 4 da tarde. Durante esse curto período não se deve utilizar filtro solar porque fatores acima de 8 são suficientes para bloquear a síntese desse nutriente pela pele.

sky-sunny-clouds-cloudy

Foi comprovado também que os raios de luz úteis não conseguem atravessar o vidro para gerar a vitamina, ou seja, o organismo não consegue sintetizá-la quando quando você está dentro do carro ou escritório, por exemplo. Considerando que é mais fácil mudar o meio de transporte do que a profissão, nem preciso dizer nada, né? Vá pelo Sol. A sua saúde agradece!

 

Foto em destaque: maradon 333 / Shutterstock.com